sexta-feira, 25 de maio de 2012

Existem aí coisas da "Mãe Cláudia"

Bolas e não é que existe neste texto muitas reflexões para a Mãe Cláudia.

Eduardo Sá encarna uma criança!


1 comentário:

A. M. disse...

eu não sou mãe e a carapuça serve-me... Dá mesmo que pensar nas exigências diárias que fazemos às nossas crianças, na desmesurada responsabilidade que lhes exigimos desrespeitando a sua infância. O mundo é exigente com os adultos e é difícil os adultos não exigirem às suas crianças, mas se pelo menos de vez em quando nos lembrar-mos que são crianças, as pouparmos da nossa exigência, intolerância e frustração da vida adulta, já é um passo para uma infância mais feliz. Temos que ler este texto e narrativas como esta para nos lembrar-mos com mais frequência